Lordes dos Sith

20180307_200432.jpg

Informações gerais: escrito por Paul S. Kemp, faz parte do novo cânone de Star Wars, lançado pela editora Aleph. Ficção – fantasia espacial.

Sinopse (retirada da parte de trás do livro): “Anakin Skywalker, o cavaleiro Jedi, é só uma distante lembrança. Darth Vader, recém nomeado lorde Sith, está em ascensão. O aprendiz escolhido pelo Imperador provou rapidamente seu compromisso com o lado sombrio , e está preparado para uma importante missão no planeta Ryloth, para controlar uma ousada insurreição que pretende assassinar o imperador e seu braço direito. Porém,  a história da ordem Sith envolve traição e pupilos violentamente tomando o lugar de seus mestres, e Vader ainda não provou sua verdadeira lealdade – pelo menos até agora.”

O livro já começa pelo ponto de vista de Vader, com ele, ao ir colocando sua armadura, lembrando levemente de como ficou daquela forma, e, automaticamente de Obi-Wan e Yoda. Contudo, logo esses pensamentos são interrompidos para descobrir que o grupo “terrorista” de Ryloth atacou novamente e que agora o imperador planeja de ir junto com Vader para encontrar os rebeldes e seus espiões, destruindo de vez esse movimento.

O comandante desse grupo é um Twi’lek chamado Cham Syndulla, um idealista libertário, que, junto com Isval (uma ex-escrava Twi’lek) e com outros moradores de Ryloth, lutam por seu planeta ficar livre do domínio do Império. Nessa obra, então, descobri que não tem somente o ponto de vista de Vader, mas vemos também todo o trabalho de Syndulla e Isval para retirarem e acabarem com o domínio do imperador neste planeta, além do ponto de vistas de outros personagens muito importantes para a qualidade maravilhosa dessa leitura.

Uma das partes mais legais do livro para mim, foi que finalmente pude ver como Darth Vader pensa, pelo menos, no início do Império, e como ele lida com as memórias de seu passado como Anakin. Achei ele mais calmo do que nos episódios IV, V e VI, porém, já começamos a entender como ele foi se transformando cada vez mais no lorde sombrio, a quem tão bem conhecemos, de como ele foi se envolvendo cada vez mais com Darth Sidious e entrando cada vez mais no lado sombrio da Força. A relação dele e com Sidious também é mais desenvolvida, explicando melhor essa interação de mestre e aprendiz na ordem Sith, mostrando o modo que Vader reage ao imperador e como o imperador demostra maior poder com a Força para manter seu domínio sobre seu aprendiz.

Cham Syndulla e Isval também são personagens maravilhosos nesta estória. Cham tem a preocupação permanente de como atingir o Império o máximo que puder, com o menor número de mortes e com o uso mínimo de recursos possíveis.  Ele precisa, por ser comandante e principal responsável pelo movimento de Ryloth livre, ser eternamente cuidadoso em suas ações e sempre pensar na preservação dessa rebelião. Já Isval tem uma personalidade bem diferente, é uma guerreira sempre procurando se vingar do Império e libertar os escravos Twi’leks o máximo que puder, sem se importa nas consequências disto para si mesma. Ela não reflete sobre como apagar seus rastros ou em rotas de fugas, o importante é liberar sua raiva e revolta em todos os seguidores de Palpatine. A relação destes dois é, por isso mesmo, complementar, com um ajudando o outro a cumprir seus objetivos.

O livro teve uma leitura rápida e gostosa, com o meu único problema sendo eu não poder ter aproveitado tanto quanto poderia se eu tivesse assistido a série Star Wars Rebels; pois, aparentemente, há um personagem o qual realiza uma grande ligação deste livro com este seriado. Entretanto, isso não estragou a minha leitura, o livro continuou sendo empolgante, cheio de cenas de ações e de luta. Foi também uma ótima oportunidade de conhecer melhor a cultura dos Twi’leks e como é o planeta Ryloth. É uma excelente estória para todos os apaixonados por Star Wars e recomendo de bom grado.

 

Amor a todos ❤

Anúncios