Minhas personagens favoritas da literatura

Hoje é Dia Internacional das Mulheres que foi criado no séc XX para marcar a importância das lutas das mulheres pelo direitos iguais e por melhores condições no trabalho. Para celebrar esse dia decidi, então, fazer essa lista com as minhas personagens femininas favoritas da literatura.

  • Éowyn (trilogia O Senhor dos Anéis de J. R. R. Tolkien)

1274237364338_f

Amo essa mulher desde que li O Senhos dos Anéis, quando eu tinha menos de 15 anos de idade, e, principalmente, no livro O retorno do rei. Ela não é perfeita, ninguém é, mas a sua perseverança de ir atrás do que quer, discutindo com todos para ir para guerra e lutar como uma guerreira, me impressionou na época e ainda me impressiona. Ela tem seu lado romântico, sensível e sua melancolia, até por viver do modo que vivia, e, ao mesmo tempo, continua a manter uma grande força em si para ir atrás de seu maior desejo o qual é lutar junto dos homens contra as forças de Sauron e proteger a Terra Média.

  • Claire Beauchamp (Saga Outlander de Diana Gabaldon)

claire_41

Amo essa personagem e um dos motivos talvez seja o motivos de muitos a acharem chata. Adoro a teimosia dela. Penso que essa personalidade teimosa a ajuda a ter coragem de voluntariar como enfermeira na Segunda Guerra Mundial e a lidar com os ingleses e escoceses do século XVIII. Claire também, não importa em que século esteja, é uma pessoa a frente de seu tempo, precisando sempre manter uma força interior para lutar contra quase todo mundo por seus direitos e pela realização de seus sonhos.

Resenha dos livros de Outlander já lidos por mim: A viajante do tempo, A libélula no âmbarO resgate no mar (parte I e parte II)

  • Elinor Dashwood (Razão e Sensibilidade de Jane Austen)

486799_alamy_bkbbpf_trans_nvbqzqnjv4bqti93vq54gce2itmfkdbrdk0wcywenhjernx3-bo6juq

Não poderia deixar de fora uma personagem da Jane Austen. Elinor tem uma personalidade bem diferente das duas mulheres anteriores, mas não fica para trás na sua inteligência e na sua força. Ela precisa sempre ser calma e controlada para ajudar a sua família a superar as novas dificuldades, cuidando de sua mãe e irmãs e mantendo o bom nome da família. Elinor possui os pés no chão e tenta lidar com tudo do melhor jeito possível, mesmo que isso signifique suprimir o máximo o seu amor por Edward Ferrars.

  • Door (Lugar Nenhum de Neil Gaiman)

1_zpsdb2adb28

Acho essa personagem especial, muito bem construída e, consequentemente, com uma linda personalidade. Door é uma menina com uma habilidade incrível e mora na Londres de baixo. Quem acessa esse mundo se torna invisível e é apagado do mundo de cima, aquele conhecido por todos nós; ou seja, Door não existe, a não ser para aqueles que também vivem na Londres de baixo, já tendo que ter grande esperteza e malemolência para se manter viva. Para piorar a sua família foi assassinada e, depois disso, ela passa a sempre ficar fugindo para não ter o mesmo destino de seus pais e planejando a sua vingança.

Não tenho mais palavras para descrever essa menina, só lendo para entender como ela é o máximo.

  • Leia Organa (saga Star Wars criada por George Lucas)

general-leia

Amo essa personagem em todos os seus momentos, porém estou colocando ela aqui, principalmente por sua participação, e protagonismo, no livro Legado de Sangue, escrito por Claudia Gray. Em Legado de Sangue ela está lutando pela manutenção da liberdade da galáxia por via da política e da democracia, precisando de muita força para ser escutada e defender seus princípios em meio de um senado repleto de egoístas e jovens os quais não viveram na época do Império. Além disso, ela está longe de seu filho, que já está sendo treinado por Luke Skywalker , e meio afastada de Han Solo,  se sentindo muitas vezes sozinha ao ter de enfrentar certos desafios, mas sem nunca desistir de sua luta pelo o que considera o melhor para a galáxia.

Resenha de Legado de Sangue.

 

Então, essas são umas das minhas personagens favoritas, algumas decidi não colocar na lista porque seria spoiler de alguma obra, porém isso não diminui em nada o amor que tenho por estas colocadas neste post. E aí, quais são as suas personagens favoritas?

Espero que tenham gostado dessa lista.

Amor a todos ❤

Anúncios

Outlander: O resgate no mar (parte I e parte II)

 

Informações gerais: Escrito por Diana Gabaldon, livro 3 parte I e parte II da saga Outlander, lido pela edição da editora Saída de Emergência (atualmente sendo englobada para editora Arqueiro). Literatura fantástica – histórica.

Sinopse da parte I do livro (retirada do Skoob): “Há vinte anos Claire Randall voltou no tempo e encontrou o amor de sua vida – Jamie Fraser, um escocês do século XVIII. Mas, desde que retornou à sua própria época, ela sempre pensou que ele tinha sido morto na Batalha de Culloden.
Agora, em 1968, Claire descobre, com a ajuda de Roger Wakefield, evidências de que seu amado pode estar vivo. A lembrança do guerreiro escocês não a abandona… seu corpo e sua alma clamam por ele em seus sonhos. Claire terá que fazer uma escolha: voltar para Jamie ou ficar com Brianna, a filha dos dois.
Jamie, por sua vez, está perdido. Os ingleses se recusaram a matá-lo depois de sufocarem a revolta de que ele fazia parte. Longe de sua amada e em meio a um país devastado pela guerra e pela fome, o rapaz precisa retomar sua vida.
As intrigas ficam cada vez mais perigosas e, à medida que tempo e espaço se misturam, Claire e Jamie têm que encontrar a força e a coragem necessárias para enfrentar o desconhecido. Nesta viagem audaciosa, será que eles vão conseguir se reencontrar?”

Já que considero os livros parte I e parte II do O resgate do mar a mesma história, sendo divididos, provavelmente, para não lançarem um livro gigante e complicado de ler; escrevo aqui uma resenha para os dois.

Esse livro me fez apaixonar de ver pela Diana Gabaldon. O livro dois é um livro a qual nos deixa ansiosos para ler o livro três da saga e quando peguei esse livro para ler ele me agradou mais do que eu imaginava. Agora não temos só o ponto de vista da Claire, mas também do Jaime! Do Jaime! É muito bom saber agora também de como o Jaime está se sentindo com todo o ocorrido na vida desse casal tão maravilhoso.

Amei o método criado por Diana no livro três parte I. Quando Claire descobre que Jaime sobreviveu a batalha de Culloden, ela, Brianna e Roger começam a pesquisar aonde durante os anos separados de Claire ele passou a viver e se si manteve vivo. Conforme a pesquisa vai avançando, a escritora fica intercalando com narrativa de Jaime, contando mais detalhadamente como ele está vivendo e o que passou durante o tempo longe de sua amada.

Claire agora, porém, precisa decidir se arrisca a voltar novamente no tempo para se reencontrar com Jaime e se despede de sua filha, ou fica com a filha e fica sentindo falta para sempre do amor de sua vida. Roger continua sendo um fofo, ajudando sempre que possível Claire e sua filha a enfrentar todas as descobertas feitas e os sentimentos trazidos com isso. Ele batalha junto com as duas para achar o máximo possível de informação de Jaime Fraser e seu paradeiro, limitando seu sono e atividades para ficar lendo diversos documentos dia e noite. Brianna enfrenta também o conflito de ser egoísta impedindo sua mãe de ir embora ou deixa-la ir atrás de seu pai; porém ajuda também no possível em estudar tudo sobre Jaime, por mais que sofresse em pensar sobre ficar longe de Claire. Brianna ainda é um personagem a qual ainda não tenho uma opinião formada. Eu entendo os motivos dela por sentir como se sente e não conheço o suficiente sobre ela para ter algum sentimento decisivo.

Ler as partes do Jaime doí o coração, depois da batalha de Culloden ele vai se tornando um outro homem, perde sua inocência e fazendo algumas ações até mesmo, na minha opinião, cruéis. Ele passa por muitos problemas na Escócia e, além disso, sente uma saudade avassaladora de Claire, sem saber se ela e seu bebê sobreviveram e não tendo ninguém para contar a verdade do que realmente aconteceu com sua esposa.Não é fácil ser um escocês o qual contra os ingleses na batalha se Culloden, sobrevivendo muitos momentos por pura sorte ou com ajuda de seus amigos e familiares.

Esse livro é lindo e tive que me segura vários momentos aqui para não contar a vocês nenhum spoiler. Ele me fez rir, chorar e temer por Claire e Jaime em diversos períodos da leitura. Sou apaixonada pela Claire, o modo dela viver e sobreviver aos desafios encontrados ao longo de sua vida; Jaime não fica para trás com sua personalidade. Espero ansiosamente para ler o livro quatro e conhecer mais ainda sobre a vida destes dois.

 

Amor a todos ❤

 

Outlander: A libélula no âmbar

wp-1478642797239.jpgInformações gerais: Escrito por Diana Gabaldon, livro 2 da saga Outlander, lido pela edição da editora Saída de Emergência (atualmente sendo englobada para editora Arqueiro). Literatura fantástica – histórica.

Sinopse  do livro (retirado do Skoob): “Claire Randall guardou um segredo por vinte anos. Ao voltar para as majestosas Terras Altas da Escócia, envoltas em brumas e mistério, está disposta a revelar à sua filha Brianna a surpreendente história do seu nascimento. É chegada a hora de contar a verdade sobre um antigo círculo de pedras, sobre um amor que transcende as fronteiras do tempo… E sobre o guerreiro escocês que a levou da segurança do século XX para os perigos do século XVIII.
O legado de sangue e desejo que envolve Brianna finalmente vem à tona quando Claire relembra a sua jornada em uma corte parisiense cheia de intrigas e conflitos, correndo contra o tempo para evitar o destino trágico da revolta dos escoceses. Com tudo o que conhece sobre o futuro, será que ela conseguirá salvar a vida de James Fraser e da criança que carrega no ventre?”

Eu amo a saga de Outlander e pretendo fazer as resenhas de todos os livros de Outlander lidos por mim, mesmo que eu já tenha lido esse já há algum tempinho, ele deixou muitas emoções e acontecimentos gravados em mim. A qualidade do livro continua a mesma do primeiro: excelente. Quando li este livro, percebi que amava mais ainda a escrita de Diana Galbadon. Não se assuste em nenhum momento com a grossura do livro, pois depois de um tempo a leitura começa a fluir rapidamente.

O livro começa com Claire no “futuro” de 1968 em Inverness, preparada para contar tudo que acontece com ela 20 anos atrás para sua filha Brianna, uma história difícil de acreditar. Ver Claire em 1968 sem Jaime me deu um aperto no coração e, mais ainda, pelo fato de ter já se passado 20 anos, vem também a ansiedade de querer saber o que ocorreu, o por quê ela esta de volta ao seu tempo. Fiquei até com vontade de pular essa parte do livro e ir para parte do falshback e com toda a explicação, porém resisti e alguns minutos depois fiquei grata por não ter pulado. É maravilhoso conhecer a Brianna e Roger, como eles se relacionam com a Claire e como Brianna tem um lado bem parecido com seus pais.

É visível que Claire continua, apesar de toda a tristeza que carrega escondida dentro de si, uma mulher forte e determinada. Ela está disposta, por mais que lhe traga muitas lembranças doloridas e talvez até ser considerada de louca por sua própria filha, a revelar todo o seu segredo. Assim, na parte dois do livro, começa a explicação de por quê e como Claire volta para o seu tempo, a parte que eu mais ansiava para ler e não é nenhum pouco decepcionante, mas que me fez chorar bastante.

Nessa leitura Diana mostra para nós que há amores que podem, sim, ultrapassar até mesmo o tempo, contando a história de um amor maduro, com os personagens tomando decisões muito difíceis, passando por muitos obstáculos e com o amor deles superando tudo isso. A leitura é repleta de detalhes e mesmo assim sendo fluída e leve, entretanto finalizando com um suspense.

Não irei falar mais nada, para não dar nenhum spoiler, mas aconselho que, ao terminar ler este livro, já tenha a mão o livro três da saga de Outlander…

Amor a todos ❤