Ser Emoção

51pf5jpmj9l

Informações gerais: escrito por Leonor Brito, e-book o qual pode-se comprar na Amazon (é só clicar no link). Livros de contos – romântico.

Sinopse: Um livro com cinco contos de diferentes histórias, mas sempre descrevendo uma relação a dois. Contos os quais tem como foco as emoções sentidas.

Esse livro é o primeiro e-book que leio, pois não consigo normalmente me concentrar totalmente se o livro não for físico. Entretanto, ao a escritora visitar o meu blog (o que sou totalmente grata), fui, em troca, conhecer o blog dela e soube deste livro. Amei a escrita de Leonor no blog e fiquei muito curiosa de como seria sua escrita em seu livro, se tinha o mesmo fluxo e suavidade. Devorei o livro.

Sua linguagem é aquela que nos faz sentir na pele de seu personagem, é, igual prometido no título de seu livro, pura emoção. Ela me fez sentir em cada conto, em cada palavra. Seu estilo de escrita me encantou e, sua suavidade, me enfeitiçou ainda mais. As emoções são quase palpáveis, e, para mim, isso é mágico e belo. O amor, único, de cada personagem é real, igual aos nossos próprios sentimentos,e, naturalmente, não precisando de muita explicação. Cada conto fala de uma vida diferente, uma relação a dois diferente, porém com o amor sempre presente em seu tema.

A leitura é rápida, li em 2 horas, o que me ajudou a terminar meu primeiro e-book lido na minha vida. Cada conto me fez entrar em um universo distinto, mas sempre emocionante. O meu conto favorito foi o último: “Futuro de passado”, o qual cheguei a derramar algumas lágrimas. Contudo, todos eles valem a pena, todos muito gostosos de se ler. O preço também é bem baratinho, paguei R$ 4,19.

É muito bonito para mim ter descoberto essa leitura ao visitar o blog de Leonor (para visitá-lo clique aqui), é como estivesse presenciando, testemunhando, os primeiros passos de um grande sucesso.Sinto-me muito grata a ela, por me mostrar a sua bela obra de arte. Espero ansiosamente para o lançamento de seu novo livro.

 

Amor a todos ❤

Anúncios

Outlander: O resgate no mar (parte I e parte II)

 

Informações gerais: Escrito por Diana Gabaldon, livro 3 parte I e parte II da saga Outlander, lido pela edição da editora Saída de Emergência (atualmente sendo englobada para editora Arqueiro). Literatura fantástica – histórica.

Sinopse da parte I do livro (retirada do Skoob): “Há vinte anos Claire Randall voltou no tempo e encontrou o amor de sua vida – Jamie Fraser, um escocês do século XVIII. Mas, desde que retornou à sua própria época, ela sempre pensou que ele tinha sido morto na Batalha de Culloden.
Agora, em 1968, Claire descobre, com a ajuda de Roger Wakefield, evidências de que seu amado pode estar vivo. A lembrança do guerreiro escocês não a abandona… seu corpo e sua alma clamam por ele em seus sonhos. Claire terá que fazer uma escolha: voltar para Jamie ou ficar com Brianna, a filha dos dois.
Jamie, por sua vez, está perdido. Os ingleses se recusaram a matá-lo depois de sufocarem a revolta de que ele fazia parte. Longe de sua amada e em meio a um país devastado pela guerra e pela fome, o rapaz precisa retomar sua vida.
As intrigas ficam cada vez mais perigosas e, à medida que tempo e espaço se misturam, Claire e Jamie têm que encontrar a força e a coragem necessárias para enfrentar o desconhecido. Nesta viagem audaciosa, será que eles vão conseguir se reencontrar?”

Já que considero os livros parte I e parte II do O resgate do mar a mesma história, sendo divididos, provavelmente, para não lançarem um livro gigante e complicado de ler; escrevo aqui uma resenha para os dois.

Esse livro me fez apaixonar de ver pela Diana Gabaldon. O livro dois é um livro a qual nos deixa ansiosos para ler o livro três da saga e quando peguei esse livro para ler ele me agradou mais do que eu imaginava. Agora não temos só o ponto de vista da Claire, mas também do Jaime! Do Jaime! É muito bom saber agora também de como o Jaime está se sentindo com todo o ocorrido na vida desse casal tão maravilhoso.

Amei o método criado por Diana no livro três parte I. Quando Claire descobre que Jaime sobreviveu a batalha de Culloden, ela, Brianna e Roger começam a pesquisar aonde durante os anos separados de Claire ele passou a viver e se si manteve vivo. Conforme a pesquisa vai avançando, a escritora fica intercalando com narrativa de Jaime, contando mais detalhadamente como ele está vivendo e o que passou durante o tempo longe de sua amada.

Claire agora, porém, precisa decidir se arrisca a voltar novamente no tempo para se reencontrar com Jaime e se despede de sua filha, ou fica com a filha e fica sentindo falta para sempre do amor de sua vida. Roger continua sendo um fofo, ajudando sempre que possível Claire e sua filha a enfrentar todas as descobertas feitas e os sentimentos trazidos com isso. Ele batalha junto com as duas para achar o máximo possível de informação de Jaime Fraser e seu paradeiro, limitando seu sono e atividades para ficar lendo diversos documentos dia e noite. Brianna enfrenta também o conflito de ser egoísta impedindo sua mãe de ir embora ou deixa-la ir atrás de seu pai; porém ajuda também no possível em estudar tudo sobre Jaime, por mais que sofresse em pensar sobre ficar longe de Claire. Brianna ainda é um personagem a qual ainda não tenho uma opinião formada. Eu entendo os motivos dela por sentir como se sente e não conheço o suficiente sobre ela para ter algum sentimento decisivo.

Ler as partes do Jaime doí o coração, depois da batalha de Culloden ele vai se tornando um outro homem, perde sua inocência e fazendo algumas ações até mesmo, na minha opinião, cruéis. Ele passa por muitos problemas na Escócia e, além disso, sente uma saudade avassaladora de Claire, sem saber se ela e seu bebê sobreviveram e não tendo ninguém para contar a verdade do que realmente aconteceu com sua esposa.Não é fácil ser um escocês o qual contra os ingleses na batalha se Culloden, sobrevivendo muitos momentos por pura sorte ou com ajuda de seus amigos e familiares.

Esse livro é lindo e tive que me segura vários momentos aqui para não contar a vocês nenhum spoiler. Ele me fez rir, chorar e temer por Claire e Jaime em diversos períodos da leitura. Sou apaixonada pela Claire, o modo dela viver e sobreviver aos desafios encontrados ao longo de sua vida; Jaime não fica para trás com sua personalidade. Espero ansiosamente para ler o livro quatro e conhecer mais ainda sobre a vida destes dois.

 

Amor a todos ❤

 

Outlander: A libélula no âmbar

wp-1478642797239.jpgInformações gerais: Escrito por Diana Gabaldon, livro 2 da saga Outlander, lido pela edição da editora Saída de Emergência (atualmente sendo englobada para editora Arqueiro). Literatura fantástica – histórica.

Sinopse  do livro (retirado do Skoob): “Claire Randall guardou um segredo por vinte anos. Ao voltar para as majestosas Terras Altas da Escócia, envoltas em brumas e mistério, está disposta a revelar à sua filha Brianna a surpreendente história do seu nascimento. É chegada a hora de contar a verdade sobre um antigo círculo de pedras, sobre um amor que transcende as fronteiras do tempo… E sobre o guerreiro escocês que a levou da segurança do século XX para os perigos do século XVIII.
O legado de sangue e desejo que envolve Brianna finalmente vem à tona quando Claire relembra a sua jornada em uma corte parisiense cheia de intrigas e conflitos, correndo contra o tempo para evitar o destino trágico da revolta dos escoceses. Com tudo o que conhece sobre o futuro, será que ela conseguirá salvar a vida de James Fraser e da criança que carrega no ventre?”

Eu amo a saga de Outlander e pretendo fazer as resenhas de todos os livros de Outlander lidos por mim, mesmo que eu já tenha lido esse já há algum tempinho, ele deixou muitas emoções e acontecimentos gravados em mim. A qualidade do livro continua a mesma do primeiro: excelente. Quando li este livro, percebi que amava mais ainda a escrita de Diana Galbadon. Não se assuste em nenhum momento com a grossura do livro, pois depois de um tempo a leitura começa a fluir rapidamente.

O livro começa com Claire no “futuro” de 1968 em Inverness, preparada para contar tudo que acontece com ela 20 anos atrás para sua filha Brianna, uma história difícil de acreditar. Ver Claire em 1968 sem Jaime me deu um aperto no coração e, mais ainda, pelo fato de ter já se passado 20 anos, vem também a ansiedade de querer saber o que ocorreu, o por quê ela esta de volta ao seu tempo. Fiquei até com vontade de pular essa parte do livro e ir para parte do falshback e com toda a explicação, porém resisti e alguns minutos depois fiquei grata por não ter pulado. É maravilhoso conhecer a Brianna e Roger, como eles se relacionam com a Claire e como Brianna tem um lado bem parecido com seus pais.

É visível que Claire continua, apesar de toda a tristeza que carrega escondida dentro de si, uma mulher forte e determinada. Ela está disposta, por mais que lhe traga muitas lembranças doloridas e talvez até ser considerada de louca por sua própria filha, a revelar todo o seu segredo. Assim, na parte dois do livro, começa a explicação de por quê e como Claire volta para o seu tempo, a parte que eu mais ansiava para ler e não é nenhum pouco decepcionante, mas que me fez chorar bastante.

Nessa leitura Diana mostra para nós que há amores que podem, sim, ultrapassar até mesmo o tempo, contando a história de um amor maduro, com os personagens tomando decisões muito difíceis, passando por muitos obstáculos e com o amor deles superando tudo isso. A leitura é repleta de detalhes e mesmo assim sendo fluída e leve, entretanto finalizando com um suspense.

Não irei falar mais nada, para não dar nenhum spoiler, mas aconselho que, ao terminar ler este livro, já tenha a mão o livro três da saga de Outlander…

Amor a todos ❤

A Garota Que Você Deixou Para Trás

wp-1474432967670.jpg

Informações gerais: escrito por Jojo Moyes, lançado pela editora Intrínseca. Ficção – literatura estrangeira.

Sinopse (retirada da parte de trás do livro): “Na França, em 1916, Sophie Lefèvre precisa manter a família em segurança enquanto seu adorado marido, Édouard, luta no front na Primeira Guerra. Quando ela é obrigada a colaborar com oficiais alemães, sua casa se torna foco de terríveis conflitos. E, no momento em que o comandante da ocupação descobre um retrato de Sophie pintado por Édouard, tem início um complicado jogo de interesses, que vai levar a jovem a tomar uma decisão arriscada.
Nos anos 2000, em Londres, o retrato de Sophie ocupa uma parede na casa de Liv Halston: um presente dado por seu marido pouco antes que ele morresse. Um encontro inesperado revela o verdadeiro valor daquela pintura e sua tumultuada trajetória. Uma história que está prestes a vir à tona e vai virar a vida de Liv de cabeça para baixo.
Em A garita que você deixou para trás, duas jovens separadas por quase um século estão juntas em sua determinação de lutar por aquilo que amam – custe o que custar.”

Faz, na verdade, um tempo que li este livro, mas o amei tanto que resolvi fazer uma resenha dele aqui no blog. Foi uma leitura a qual me mostrou a sensibilidade da escrita de Jojo Moyes, ela consegue trazer uma leveza a temas polêmicos e a histórias intensas. A leitura, praticamente possuí duas histórias principais as quais são ligadas pelo quadro feito pelo marido de Sophie. A pintura traz as duas personagens significados e lembranças pessoais muito importantes, os quais vamos conhecendo melhor ao longo do livro, fazendo toda a leitura emocionante ao ponto de eu ter chorado e soluçado em várias partes.

Apesar de Liv e Sophie  viverem em lugares e tempos diferentes, ambas possuí uma grande força para lutar por suas crenças e desejos, sacrificando tudo o que for necessário para manter o que tanto amam. As duas também passam por um momento de grande dificuldade e sofrimento. Sophie passa pela fome, dela, de sua família e de sua cidade; guerra, com sua cidade invadida por alemães; e saudades de seu marido, a qual foi convocado pela guerra. Liv passa pela perda de seu marido, o qual já morreu, um arquiteto muito famoso e encantador; e pela luta de manter o quadro que ela ama com todas as suas forças.

Com o passar da leitura, as duas histórias vão se ligando lentamente, porém se tornando mais e mais tensas e com maiores dificuldades a serem enfrentadas. As escolhas vão se tornando mais difíceis e encontramos muitas surpresas durante esse período de vida de Liv e Sophie. O livro, já cativante, se torna impossível de largar. Queremos saber qual será os destino das duas, e, também, da pintura de Édouard. O amor delas permanece, talvez até mesmo crescendo, não importando suas desventuras, e a esperança delas nos contagia, nos fazendo torcer para que no final ambas consigam o que querem e sejam simplesmente felizes.

O final, como todo o livro, é emocionante, não me decepcionando nenhum pouco e valendo a pena todo o meu sofrimento durante a escrita. O livro é repleto de suspense e amor até o seu final. É um dos meus livros favoritos.

Amor a todos ❤

Outlander: a viajante do tempo

outlander

Este é um dos meus livros favoritos, então, para homenageá-lo, decidi que ele é minha primeira resenha aqui no blog.

Informações gerais: Escrito por Diana Galbadon, livro um da saga Outlander, lido pela edição da Saída de Emergência (atualmente sendo englobada para a editora Arqueiro).

Sinopse do livro (retirado do Skoob): “Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros. Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie, um jovem guerreiro escocês, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente?”

Eu sinceramente me apaixonei por este livro. Ele se passa em primeira pessoa, no ponto de vista da Claire Randall, que, é deste o início, uma personagem forte, com opiniões e modos a frente de seu tempo, por culpa em parte de sua educação e do tempo que passou sendo enfermeira durante a guerra, mas, acredito também, em parte por culpa de sua própria personalidade. O modo dela agir sempre é com uma certa determinação, buscando o que quer e, ao mesmo tempo, procurando fazer a coisa certa. Frank Randall é o marido dela, um historiador, obcecado no início do livro por pesquisar e conhecer seus antepassados para montar sua árvore genealógica, deste modo, nos ensinando já deste o início um pouco da história da Escócia. O Jaime, encontramos mais a diante do livro, é um homem também com muita determinação e personalidade forte, um escocês jovem, repleto de ideais e princípios muito interessantes (mas não falarei mais dele, para não dar nenhum spoiler).

O livro é espetacular. Todos os personagens que aparecem no livro são complexos e bem construídos. O livro a todo momento entrelaça os dados históricos com fantasia e romance. As relações entre os personagens também são muito bem colocadas, descritas com perfeição, sem ser em nenhum momento bobas ou muito fora da realidade em si. Há personagens que odiamos assim que conhecemos, personagens que amamos deste o início, e outros que, sinceramente, me deixava em dúvida do que eu realmente achava deles, se as intenções deles eram boas ou más, se gostava ou não deles…

A leitura, para mim, no início, não foi rápida, porém prazerosa, fui entrando no livro aos poucos e, quando me vi no meio dele, já estava totalmente envolvida na história e devorando as páginas. O livro é muito bem finalizado, dando um final temporário a história e Diana Galbadon tem um modo de escrever único. Não posso comparar a série de televisão, porque não a assisti ainda, mas ler esse livro já é o suficiente para ser conquistado pelo universo de Outlander e buscar ler todos os livros dessa saga maravilhosa para conhecer melhor os personagens ali apresentados. Tenho um carinho especial com os personagens escoceses e com Claire (a acho simplesmente maravilhosa) e espero que quando leiam também amem eles tanto quanto eu os amo (se é que já não leram e já se apaixonaram).

Peço desculpas por qualquer erro que essa resenha possa ter, mas a escrevi um pouco com pressa, além de fazer um tempo que li este livro, mas eu o amo tanto que realmente quis que ele fosse a primeira resenha aqui do blog.

Amor a todos ❤