A Garota Que Você Deixou Para Trás

wp-1474432967670.jpg

Informações gerais: escrito por Jojo Moyes, lançado pela editora Intrínseca. Ficção – literatura estrangeira.

Sinopse (retirada da parte de trás do livro): “Na França, em 1916, Sophie Lefèvre precisa manter a família em segurança enquanto seu adorado marido, Édouard, luta no front na Primeira Guerra. Quando ela é obrigada a colaborar com oficiais alemães, sua casa se torna foco de terríveis conflitos. E, no momento em que o comandante da ocupação descobre um retrato de Sophie pintado por Édouard, tem início um complicado jogo de interesses, que vai levar a jovem a tomar uma decisão arriscada.
Nos anos 2000, em Londres, o retrato de Sophie ocupa uma parede na casa de Liv Halston: um presente dado por seu marido pouco antes que ele morresse. Um encontro inesperado revela o verdadeiro valor daquela pintura e sua tumultuada trajetória. Uma história que está prestes a vir à tona e vai virar a vida de Liv de cabeça para baixo.
Em A garita que você deixou para trás, duas jovens separadas por quase um século estão juntas em sua determinação de lutar por aquilo que amam – custe o que custar.”

Faz, na verdade, um tempo que li este livro, mas o amei tanto que resolvi fazer uma resenha dele aqui no blog. Foi uma leitura a qual me mostrou a sensibilidade da escrita de Jojo Moyes, ela consegue trazer uma leveza a temas polêmicos e a histórias intensas. A leitura, praticamente possuí duas histórias principais as quais são ligadas pelo quadro feito pelo marido de Sophie. A pintura traz as duas personagens significados e lembranças pessoais muito importantes, os quais vamos conhecendo melhor ao longo do livro, fazendo toda a leitura emocionante ao ponto de eu ter chorado e soluçado em várias partes.

Apesar de Liv e Sophie  viverem em lugares e tempos diferentes, ambas possuí uma grande força para lutar por suas crenças e desejos, sacrificando tudo o que for necessário para manter o que tanto amam. As duas também passam por um momento de grande dificuldade e sofrimento. Sophie passa pela fome, dela, de sua família e de sua cidade; guerra, com sua cidade invadida por alemães; e saudades de seu marido, a qual foi convocado pela guerra. Liv passa pela perda de seu marido, o qual já morreu, um arquiteto muito famoso e encantador; e pela luta de manter o quadro que ela ama com todas as suas forças.

Com o passar da leitura, as duas histórias vão se ligando lentamente, porém se tornando mais e mais tensas e com maiores dificuldades a serem enfrentadas. As escolhas vão se tornando mais difíceis e encontramos muitas surpresas durante esse período de vida de Liv e Sophie. O livro, já cativante, se torna impossível de largar. Queremos saber qual será os destino das duas, e, também, da pintura de Édouard. O amor delas permanece, talvez até mesmo crescendo, não importando suas desventuras, e a esperança delas nos contagia, nos fazendo torcer para que no final ambas consigam o que querem e sejam simplesmente felizes.

O final, como todo o livro, é emocionante, não me decepcionando nenhum pouco e valendo a pena todo o meu sofrimento durante a escrita. O livro é repleto de suspense e amor até o seu final. É um dos meus livros favoritos.

Amor a todos ❤

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s